Capítulo 3 Respiração

"Inspirar. Expirar. Lentamente. Quem sabe assim minhas idéias se acalmam, encontram o caminho de volta e finalmente desistem de tentar sair da minha cabeça.

Mariana Machado

 

Considero este o capítulo mais importante de todo o livro. Sem ele, os demais nada significam. Não comecei por ele devido a um simples fato, o de que as coisas só funcionam se nós realmente as vivemos, se as experimentamos. Então aproveitei os primeiros capítulos para você poder entrar em contato com essa nova atividade, que deve necessariamente incluir no seu dia-a-dia pelo resto de sua vida, como um medicamento.

Também temos uma pequena ajuda em nosso organismo que guarda experiências e aprendizados de milhares de anos. É a memória celular. De uma forma incrível, nosso corpo sabe dizer o que é bom ou ruim para todos nós. Ele se comunica a todo instante, mas temos dificuldades de ouvi-lo.

Imagine a seguinte situação. Você está no meio do trânsito engarrafado, com carros buzinando sem parar, uma chuva caindo do lado de fora e fumaça dos escapamentos encobrindo sua visão. A poucos metros de você, um amigo de muitos anos está em outro carro. Você tenta chamá-lo, mas o barulho das buzinas não permite. A fumaça dos escapamentos irrita sua garganta, e gritar parece algo impossível. A chuva dificulta a visibilidade, e certamente seu amigo não o verá. Por fim, não há nem como sair do carro, pois os motociclistas passam como loucos no pequeno espaço que sobra, e seria uma loucura tentar sair. Pois é, o caos está instalado.

Poucos dias depois, em um parque, num belo dia, você está caminhando sozinho, aproveitando um sol gostoso e a natureza em volta. A surpresa, um pequeno toque em seu ombro, e ao virar lá está seu amigo! Você nem precisou ir atrás dele. É como se tudo se encaixasse, uma verdadeira harmonia.

Nosso corpo também é assim. A ansiedade, o medo, angústia, todos os sentimentos e emoções que nos perturbam agem como o caos em nosso sistema. As células perdem grande poder de comunicação, a energia vital cai (e essa é nossa grande via de mensagens e combustível), os processos aceleram ou reduzem muito sua velocidade, seguindo nosso ritmo cardíaco. O oxigênio não age direito. Nosso cérebro se confunde. É uma desorganização tamanha que parece não ter saída. Muitas pessoas desenvolvem doenças e fobias por conta desse desequilíbrio. Há práticas milenares como o yôga e a meditação que nos ajudam a retomar o controle. No entanto vou emprestar aqui uma simples técnica que aprendi há alguns anos e que acho muito interessante. Vale lembrar que não sou nenhum especialista no assunto, mas a simples tentativa de colocar este ensinamento em prática vai ajudar a melhorar muito a oxigenação no seu corpo. Chama-se Pranayama.

The End

0 comments about this work Feed