Mudanças - #1 Os Observadores

"E ela perguntou por que eu continuo solteiro..."

Dizia o jovem que trajava calça jeans preta, um tênis de solado grosso e usava um colete a prova de balas por cima da camiseta preta. O seu amigo que, com o auxilio de um binóculos, analizava os arredores do palácio do planalto, perguntou:

"E o que tu disse, Pedro?"

E ele respondeu enquanto apreciava com detalhes, devido a vista privilegiada que tinha do topo daquele edifício, o prédio do Ministério da Saúde, ainda queimando por conta do ataque:

"Que não conseguia arrumar uma namorada, porque tinha perdido a minha capacidade de fazer promessas que sei que não vou cumprir."

Os dois riram um pouco.

"E conseguiu comer?" - Perguntou o homem do binóculos.

Quando pedro se preparava para responder, uma grande explosão é ouvida ao fundo. Ambos sacam suas armas e procuram o local do estouro. Segundos depois, uma nova explosão. Segundos depois, mais outra. O rádio de ambos começa a chiar e, logo depois, uma voz diz:

"Múltiplas explosões de ônibus. Ninguém se dirija até o local. Nossos observadores não visualizam sobreviventes, e o comando central acredita que é uma armadilha para as equipes de socorro e o pessoal militar que seria deslocado ao atendimento. Não é seguro seguir ao local das explosões."

"Lúcio, o que tu acha disso? Acredita que é uma armadilha?"

Uma nova seqüencia de três explosões é ouvida, antes que a resposta chegasse:

"Acho que eles sabem avaliar esse tipo de situação melhor do que eu. Prefiro me ater ao meu rifle e deixar as projeções para a inteligência."

Eis que um ônibus estaciona em frente a posição de Pedro e Lúcio. Ambos pegam os binóculos e começam a observar o interior do veículo. Todos estão parados, completamente imóveis.

"Vou descer e ver o que está acontecendo... Não reporta nada disso." - Disse Pedro, enquanto juntava algum equipamento e colocava em uma sacola.

"Nossas ordens são para vigiar a posição. Vamos passar um rádio para o Comando Central e aguardar instruções. Protegidos, de preferência, porque não sabemos o raio e intensidade da explosão. É muito perigoso" - Ponderou Lúcio

"Tu tem um bom rifle, uma boa luneta e uma boa mira. Estarei seguro contigo me dando cobertura. Se alguém fizer menção de explodir alguma coisa, apertar um botão ou atender um celular, tu me salva. Lembra, nada de rádio." - Disse o teimoso, enquanto caminhava até a escada.

 

The End

2 comments about this story Feed